ENRIQUE MARTÍN SANTA OLALLA

ENRIQUE MARTÍN SANTA OLALLA





Professor, escritor, educador, publicitário, matemático e livre-pensador, maçom liberal republicano. Nasceu em Málaga, em 29 de junho de 1820, filho de Francisco M. de Santa Olalla e D. Clara Sevilla. Logrou-se em pedagogia em França, depois foi residir na Inglaterra e de lá viajou para Cuba, Estados Unidos, Equador, Peru e Chile. Em 1865 imigrou para o Rio da Prata. Na epidemia de febre amarela em 1871, ele perdeu sua esposa Manuela Lois, por não ter fugido a tempo da cidade de Buenos Aires. Sua filha mais velha Hortensia, continuou seu trabalho como tutora no Colégio de La Piedad, falecendo com apenas 19 anos de idade. Casou-se em segundo núpcias com a professora Carolina Simona Casas Laborde, que se tornaria uma destacada livre pensadora no Rio da Prata. Ela também foi a presidente da Loja para Damas de Buenos Aires. Em junho de 1865 foi chamado a ocupar o cargo de secretário do Conselho de Instrução Pública. Por sua proposta, a província de Buenos Aires fundou a primeira Escola Normal para o ensino de professores e preceptores da Argentina, da qual foi nomeado vice-diretor. Porém, só funcionou por alguns meses, já que Marcos Sastre, que era o diretor se demitiu em setembro de 1865. Em abril de 1866 foi nomeado diretor da Escola Modelo da Catedral do Norte. Neste estabelecimento fundou em 21 de setembro de 1866 uma escola noturna de matemática aplicada às artes, destinada a jovens artesãos que funcionou gratuitamente por décadas. Em 1867, o Conselho da Instrução Pública o encarregou de redigir o primeiro jornal oficial da província de Buenos Aires de matéria educacional, denominado de “La Escuela Primaria”, passou a redigir seu próprio jornal de instrução primária denominado de “La Enseñanza”, sendo distribuído gratuitamente entre 1869-1870. Quando Domingo F. Sarmiento deixou a presidência da Nação em 1874 e voltou a dirigir o Departamento Geral de Escolas, contratou Santa Olalla para assumir o cargo de inspetor geral. Em abril de 1882, a Direção Geral de Escolas da província de Buenos Aires o nomeou como delegado no congresso pedagógico. Foi encarregado em 1883 de organizar o primeiro congresso pedagógico seccional que teve lugar na cidade de Pergamino. Especialista em metodologia pedagógica, tendo seu método particular de leitura, conhecido como método silábico de Santa Olalla, que foi utilizado nas primeiras séries das escolas de Buenos Aires por meio de páginas e pôsteres. Chegou à capital da província de Buenos Aires em 1884, como inspetor geral das escolas de Buenos Aires. Com apenas duas escolas estaduais de ensino fundamental na cidade de La Plata, uma para meninas e outra para meninos, ele pediu ao Conselho de Educação uma vaga para instalar de uma escola dominical gratuita. Foram criados a seu pedido, um curso de sistema métrico decimal e um curso noturno gratuito de contabilidade para os alunos do Colégio Provincial. Dirigidos por ele, os cursos foram inaugurados em 02 de abril de 1886, ocorrendo três vezes por semana e sendo dirigidos aos trabalhadores que queriam aprender à noite. No início de 1886, dirigiu uma nota ao Ministério do Governo propondo-se como voluntário a implantação de uma escola dominical gratuita na Cadeia de La Plata, destinada a presos sem ensino fundamental. Por fim, conseguiu-se a inauguração da Escola Dominical no Palácio da Justiça de La Plata . Nele, os detidos aprendiam um programa mínimo de estudo em leitura, escrita, aritmética, sistema métrico, geografia nacional e instrução cívica. Por causa de sua amizade com o espanhol Isidro Villarino del Villar, tornou-se representante em território sul-americano do Grande Conselho Geral Ibérico da Espanha. Instalou em julho de 1903, o Comitê Provincial do Partido Republicano Espanhol, sendo seu presidente por algum tempo. Como escritor deixou as seguintes obras: Enciclopedia de la Infancia. Valparaíso. Ano 1857; Tesoro de fabulistas españoles. Santiago de Chile. Ano 1864; Método filosófico de lectura gradual. Buenos Aires. Ano 1869; Respuestas al programa de aritmética decretado por el Consejo de Instrucción Pública. Buenos Aires. Ano 1871; La Jeometría puesta al alcance de los niños (Sic). Buenos Aires. Ano 1876; Disertación sobre el tema 5º señalado por decreto del Gobierno Nacional; ¿Cuál sería el medio más eficaz para difundir la educación común en la campaña? Buenos Aires. Ano 1882; Método filosófico de lectura y escritura simultaneas. Buenos Aires. Ano 1887; Lecciones de gramática filosófica de la lengua castellana. París. Ano 1889; El Instructor del Rito Ecléctico. La Plata. Ano 1894. Na maçonaria foi iniciado na Loja Libertad de San José de Flores, em julho de 1878, onde exerceu o ofício orador por cinco anos consecutivos. Em 1886, ingressou na Loja Capitular de La Plata (que existiu entre 1885-1905), onde foi secretário e depois orador, além de bibliotecário da oficina. Nesta loja, ele recebeu o 18º grau do Rito Escocês em 1887, e o 25º grau em 1888, finalmente em 1889 o grau o 30º. Em 1891, juntamente com outros maçons da província, fundou a Confederação das Lojas Unidas de La Plata, que constituiu a Grande Loja Provincial Bonaerense, assumindo o cargo de Grande Chanceler e Secretário no ano de 1891. Em 1893 assumiu o Grão-Mestrado e fundou a Loja Porvenir e a Loja Federal para Professores. A Loja Federal funcionava nas instalações da própria escola, sendo recrutados professores e alunos da sociedade bonaerense. Compilou o Rito Cientifico Ecletico a partir da obra de Barão von Ditfurth para uso exclusivo da Grande Loja Bonaerense. Faleceu em sua casa em 09 de agosto de 1909, com 89 anos de idade. Se nome foi dado a vários logradouros públicos.